DSC09839.jpg

Procedimentos Endoscópicos

 

Colangiopancreatografia retrógrada endoscópica (CPRE)

A CPRE é um procedimento endoscópico avançado que, através da endoscopia digestiva alta (EDA), permite diagnosticar e tratar patologias do sistema biliar e pancreático. Sua principal indicação é no tratamento de coledocolitíase, cálculo biliar no interior dos ductos biliares. Além disso, em pacientes com estenose ou estreitamentos das vias biliares, é possível executar dilatações do canal com balão ou colocar próteses endoscópicas.

Com o paciente anestesiado é possível introduzir o duodenoscópio pela boca até a segunda porção do duodeno, onde é introduzido um cateter na papila de Vater, a fim de avaliar radiologicamente a via biliopancreática e tratá-la.

 

Colonoscopia

A colonoscopia é um procedimento endoscópico seguro, que avalia o interior do intestino grosso. O procedimento é realizado com sedação e pode ser tanto para fins diagnósticos como para tratamento de algumas doenças, que acometem o cólon e o reto. As indicações para realizar uma colonoscopia são inúmeras, dentre elas podemos ressaltar:

• Rastreio de câncer de cólon;
– Todos a partir dos 50 anos, de 10 em 10 anos
– Pacientes com risco aumentando, começar o rastreio precocemente


• Investigação de sangramento nas fezes, anemia ou alteração no hábito intestinal;

• Acompanhamento de pólipos intestinais.

A colonoscopia, além de fazer o rastreio, diagnóstico precoce do câncer colo-retal, também faz sua prevenção, ao ressecar pólipos, que ao longo do tempo podem evoluir para uma neoplasia.

Para realizar o procedimento é necessário realizar um preparo do cólon, para que o mesmo esteja completamente limpo e não prejudique a qualidade do exame.

Acesse aqui o preparo para Colonoscopia.

 

Endoscopia Digestiva Alta

A endoscopia digestiva alta é um exame que avalia a mucosa do esôfago, estômago e o duodeno. Ela é realizada por um tubo flexível (endoscópio) com uma câmera na ponta. O procedimento é realizado com sedação, o paciente não sente dor e não se lembrará do exame. As indicações para realização de endoscopia são inúmeras, incluindo:

  • Investigar quadros de dor ou desconforto inexplicável no abdome superior;

  • Avaliar doença do refluxo gastroesofágico, que não responde ao tratamento clínico inicial;

  • Rastrear câncer em pacientes com diagnóstico prévio de esôfago de Barrett;

  • Investigar quadro de náuseas e vômitos persistentes;

  • Avaliar e possivelmente tratar quadros de sangramentos do trato gastrointestinal superior;

  • Investigar varizes de esôfago em pacientes com cirrose e/ou hipertensão portal;

  • Investigar quadros de anemia;

  • Investigar quadros de dificuldade de engolir alimentos ou sensação de comida entalada no esôfago;

  • Investigar perda de peso sem motivo aparente;

  • Investigar a possibilidade do paciente possuir doença celíaca.

O procedimento, além de diagnóstico ao visualizar a mucosa e realizar biópsias, também pode ser terapêutico, como realizar colocação de sondas em pacientes com dificuldade de deglutição, retirar pólipos, remover corpos estranhos, tratamento de lesões sangrantes, dilatar estenoses e outros.

dentárias e outros.

O preparo para a Endoscopia Digestiva Alta é muito simples:

  • 12 horas de jejum até para água, ou 2 goles de água se fizer uso contínuo de medicação para a pressão e/ou tireóide.

  • Obrigatório um acompanhante de preferência que dirija. 

  • Autorizar a guia do exame previamente.

  • Comparecer sem adornos como brincos, aliança, relógio etc. Unhas sem esmaltes.

 

Qualquer dúvida entrar em contato no CEM Laranjeira no tel (54) 9 9661-2740 ou (54) 3282-1312 opção 04 com Cinara.

Exames

Impedâncio-pHmetria Esofágica

Assim como a manometria apresentou a evolução da técnica para a alta resolução, a pHmetria também tem uma nova versão melhorada do exame, a impedâncio-pHmetria, que consiste em uma sonda semelhante a anterior, porém com alguns sensores a mais que conseguem avaliar a presença de refluxo não-ácido em um período de 24 horas.

Sabemos que o refluxo pode ser ácido ou não-ácido, ou seja, o paciente pode ter refluxo do bolo alimentar em direção ao esôfago sem que apresente redução no pH deste órgão (ácido), sendo que este refluxo não-ácido também pode causar sintomas de desconforto torácico, sensação de disfagia, tosse, entre outros.

Este exame pode ser indicado para todos os pacientes com refluxo, porém tem maior benefício diagnóstico naqueles pacientes com falha terapêutica (tratado com medicamentos ou com cirurgia sem boa resposta) e naqueles com sintomas atípicos do refluxo (disfagia, tosse, dor torácica, entre outros).

Manometria Esofágica de Alta Resolução

A manometria esofágica de alta resolução é uma evolução da manometria convencional, consistindo basicamente de uma sonda com mais sensores de pressão (24 a 36 sensores) do que na convencional (8 sensores). Desta forma, este exame permite avaliar a força contrátil do esôfago de forma mais precisa e com mais detalhes, trazendo novas informações que antes não podiam ser avaliadas.

O exame é realizado de forma semelhante a manometria convencional, sendo realizada a passagem da sonda pelo nariz, com a extremidade posicionada no interior do estômago, permitindo a avaliação da “força” do esôfago. É um exame indolor, não tem necessidade de anestesia e tem duração de 15 a 20 minutos.

Por possuir mais sensores na sonda, podemos observar a pressão do esôfago em um gráfico de cores, sendo que os tons de vermelho representam alta pressão e os tons de azul e verde, baixa pressão.

 

A apresentação visual dos dados facilita a avaliação e fornece dados que antes não eram possíveis com a manometria convencional, aumentando a acurácia deste exame na detecção de doenças motoras do esôfago.

Manometria Esofágica Convencional

A manometria esofágica é um exame utilizado para avaliar a capacidade de contração do esôfago durante o processo de deglutição, ou seja, o movimento que o esôfago faz para “empurrar” o alimento para o estômago. Sabemos que o esôfago é dividido em 3 partes principais, sendo elas o esfíncter superior, o corpo esofágico e o esfíncter inferior, sendo possível diagnosticar patologias nestas estruturas através deste exame.

O exame consiste na passagem de uma sonda com 8 sensores de pressão pela narina até o interior do estômago, sendo esta tracionada lentamente para avaliar a pressão que cada componente do esôfago promove durante a deglutição. O exame dura em torno de 15 a 20 minutos, é indolor, não tem necessidade de anestesia para ser realizado e o paciente é liberado após sua conclusão.

Normalmente este exame é indicado para pacientes com quadro de dor torácica ao deglutir, dor torácica que já foram descartadas causas cardíacas, dificuldade em engolir, doença do refluxo (principalmente para avaliação pré-operatória), suspeita de acalasia (aumento na pressão do esfíncter esofágico inferior com redução no seu relaxamento), entre outros. Cada caso deve ser avaliado individualmente e a necessidade do exame deve ser sempre avaliada e indicada pelo médico assistente do paciente.

Outra indicação da manometria esofágica ocorre nos casos de pacientes com a doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) que precisam realizar o exame de pHmetria esofágica. A manometria é essencial para a adequada localização do esfíncter esofágico inferior, pois precisamos desta informação para definir o correto posicionamento da sonda de phmetria, que deve ser posicionada a 5cm do esfíncter, o que padroniza a medição do pH esofágico em um período de 24 horas.

pHmetria Convencional

A phmetria esofágica é um exame que avalia a presença de ácido no interior do esôfago durante um período de 24 horas. Consiste na passagem de uma sonda pela narina até o esôfago, sendo que a extremidade distal da sonda deve ficar 5cm acima do esfíncter inferior do esôfago. É um exame indolor, o paciente posiciona a sonda e o aparelho de leitura de dados na clínica, sendo liberado a seguir, devendo retornar após 24 horas para a retirada da sonda, podendo se alimentar e trabalhar normalmente durante esse período.

Este exame tem como objetivo medir o tempo total que o esôfago é exposto ao conteúdo ácido que reflui do estômago, quantas vezes isso ocorre em 24 horas, se existem períodos de exposição maiores que 5 minutos, entre outras informações, permitindo a quantificação de refluxo ácido apresentado pelo paciente.

Está indicado para pacientes portadores de doença do refluxo gastroesofágico para diagnóstico da doença, acompanhamento da resposta ao tratamento, avaliar presença de refluxo em pacientes com sintomas atípicos que podem estar relacionados (rouquidão, tosse crônica, asma, entre outros), avaliar resposta ao tratamento cirúrgico, entre outras indicações, sendo fundamental a avaliação e indicação pelo médico assistente.

 
 
 
 

Convênios

DSC09854.jpg
cabergssaude.jpg
logo-circulo-saude-novo.png
ipe-novo.jpg
unimed-novo.jpg